domingo, 22 de março de 2020

MORRE JORNALISTA MARIANA KALIL

Morreu, na manhã deste domingo, aos 47 anos, vítima de câncer, a jornalista e escritora Mariana Kalil. Ela estava internada no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Natural de Porto Alegre, foi editora da revista Donna, do Grupo RBS, e teve passagens também pelos jornais Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil, além das revistas Época e Isto É. Foi correspondente da BBC na Espanha, onde fez pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño em Barcelona.
  Mariana foi também colunista da Band TV e Band News e trabalhou na TVE. Era também diretora de conteúdo de um site que levava o seu nome. A jornalista escreveu três livros: "Peregrina de Araque", "Vida Peregrina" e "Tudo Tem uma Primeira Vez", todos lançados pela editora Dublinense.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

EXCLUÍDO ARTIGO DA MP QUE DESOBRIGA REGISTRO PARA JORNALISTAS

  Depois que o Carnaval passar, após o recesso parlamentar, as atenções de jornalistas e integrantes de outras 13 categorias estarão voltadas, nos próximos dias 3 e 4 de março, para as sessões de discussão e votação da medida provisória nº 905/19, que tenta extingir o registro profissional de jornalistas, radialistas e publicitários, além de outras 11 profissões. Antes do recesso, na comissão mista da Câmara, deputado Christino Aureo (PP-RJ) retirou do texto o artigo 51, inciso VII, que desobrigava o diploma para essas categorias.

- Tratando da extinção de registro profissional no Ministério do Trabalho, eu rejeitei a redação do artigo 51 da MP e acatei o conjunto de todas as emendas que estabeleciam os registros profissionais. As categorias que estavam abrangidas pelo artigo 51 estão com seus registros restabelecidos no Ministério do Trabalho", disse o relator, ao apresentar o parecer na Comissão Mista.

Para o relator, o mercado ainda não está maduro para fazer a autogestão das profissões. Ele disse que vai apresentar propostas com atribuição específica à Secretaria do Trabalho para que exista uma modernização do registro. "No voto, a minha tendência é dar um prazo para que nós possamos fazer esse entendimento. Então, não é um prazo impositivo".
Ao comentar a decisão, o presidente da Associação Riograndense de Imprensa, Luiz Adolfo Lino de Souza, considerou uma vitória, mas alertou que a luta da categoria precisa prosseguir. "
- A retirada do artigo que dispensava o registro profissional comprovou a importância da mobilização em defesa do jornalismo. Mas isso não é o fim já que, diariamente, os jornalistas necessitam, mais ainda, de liberdade e independência para a realização de suas tarefas em favor do aprimoramento da sociedade", afirmou Luiz Adolfo.
Nas sessões dos dias 3 e 4, a MP 905 será discutida e votada. Após aprovação do relatório na Comissão Especial, a medida segue para apreciação do plenário da Câmara dos Deputados e depois do Senado e tem prazo para aprovação ou rejeição até o dia 9 de abril deste ano.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

NO ANO EM QUE O CARNAVAL CAIU NO MESMO DIA DE NOSSA SENHORA DOS NAVEGANTES

   A propósito do Carnaval e da Mangueira, me lembrei de uma piadinha. Foi num ano em que o Carnaval caiu no mesmo dia de Nossa Senhora dos Navegantes. Da igreja do Rosário, saía de manhã, um cortejo com a imagem da Santa carregada por seis remadores, com o padre à frente, na direção da outra igreja lá perto da ponte. Quando o grupo saía, quase na esquina da Vigário José Ignácio com Otávio Rocha, um bêbado gritou:
- Olha a Mangueira aí, gente!!!
     O padre olhou raivoso pra ele, disse baixinho uns impropérios por causa do que considerou um desrespeito, e a comitiva seguiu. Quando dobrou na Otávio Rocha, os primeiros que carregavam a Santa tropeçaram em uma mangueira que um síndico do edifício lavava a calçada. Foi um auê. Os carregadores se desequilibraram, a imagem se ia ao chão e o padre deu um voo no estilo Tafarel para que a imagem não se quebrasse. Caído, segurando a Santa, o padre olhou pro bêbado, que não poupou: "Eu avisei, eu avisei"

TRÊS MISTÉRIOS QUE INTRIGAM UM SER CURIOSO


Ou reflexão na falta de algo mais importante

Para onde vão certos objetos que desaparecem das minhas vistas sem explicação?
Guarda-chuvas - O tempo fica firme por alguns dias e, quando chove e a gente precisa se proteger, cadê o guarda-chuva? Onde foi que ele ficou?
Caneta bic - Uma hora ela estava aqui no meu lado. De repente sumiu. Alguém pegou? Ela rolou pela mesa e caiu dentro de um cesto de lixo sem que ninguém percebesse? Para onde ela foi?
Meias - Esse é o mistério mais intrigante. Por que as meias desaparecem? E por que somem desparceiradas? Se desaparecem juntas, ainda haveria uma ideia de furto, de apropriação indébita, de empréstimo. Mas não. Uma some e a outra fica. Será que existe em algum cantinho da máquina de lavar uma espécie de portal para outra dimensão? Haveria lá nesse lugar uma montanha de pés de meias desparceiradas? Seriam usadas por sacis?

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

BRUNA COLOSSI TROCA A RBS PELO SBT RS

A jornalista Brunna Collossi, que saiu do grupo RBS no início deste mês de fevereiro é a mais nova contratação do Sistema Brasileiro de Televisão, no Rio Grande do Sul. Conforme o site Coletiva.Net, Bruna fará parte do núcleo de entretenimento da sucursal gaúcha do SBT no Rio Grande do Sul onde vai se dedica a projetos especiais e produtos da área.
Brunna em nova casa, o SBT

A apresentadora comentou que, nove anos depois, ela entendeu que era o momento de sentir novamente o "frio na barriga" e tentar se reinventar, fazendo algo em que acredita: informar, entreter e alegrar. "A vida já tem seus percalços, que tal a gente aliviar? Desopilar? Alegrar o dia de alguém? Eis que surge uma oportunidade que resume tudo isso! A ideia veio pra me encher de entusiasmo e expectativa", disse Brunna. ao site Coletiva.

Brunna diz que, agora, quer se aproximar ainda mais do seu público, mostrando a sua verdade, a sua essência e espalhando alegria. "É tudo novo, mas sei que vou poder contar com colegas incríveis e competentes que vão me ensinar e ajudar a construir esse novo caminho, que tenho certeza, vai ser lindo! 

 Clayton Yukio, coordenador de produção do núcleo,  diz que "fazer entretenimento não é tão fácil quanto parece". Segundo ele, é preciso ter credibilidade e carisma, sabendo divertir e informar. "A Brunna é um dos grandes nomes da TV no Rio Grande do Sul e reúne todas essas características. Estamos felizes por concretizar mais uma grande etapa do compromisso do SBT com a geração de conteúdo local", completa.


CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA


Não sei quem é o autor do texto a seguir, mas bem que gostaria de saber para elogiá-lo ou elogiá-la. Esta belezura chegou até mim por meio do meu amigo João Luiz Xavier que recebeu de Carol Pereira (@carolinajesper)

O poeta escreveu: "Entre doidos e doidos, prefiro não acentuar".
Às vezes, não acentuar, parece ser mesmo a solução.
Eu, por exemplo, prefiro a carne ao carnê.
Assim como, obviamente, prefiro o coco ao cocô.
No entanto, nem sempre a ausência do acento é favorável.
Pense no cágado, por exemplo, o ser mais vivo mais afetado quando alguém pensa que o acento é mera decoração.
E há outros casos, claro.
Eu não me medico, eu vou ao médico.
Quem baba não é a babá.

Você precisa ir à secretaria para falar com a secretária.

Será que a romã é de Roma?

E você, prefere ser uma pessoa vívida ou vivida?

Seus pais vêm do mesmo país?

Seria maio o mês mais apropriado para colocar um maiô?

Quem sabe mais entre a sábia e o sabiá?

O que tem a pele do Pelé?

O que há em comum entre o camelo e o camelô?

O que será que a fábrica fabrica?

E tudo que se musica vira música?

Será melhor lidar com as adversidades da conjunção "mas" ou com as más pessoas?

Será que tudo que eu valido se torna válido?

Melhor doidos que doídos?

E entre o "amem" e o "amém", que tal os dois?

Na dúvida, com um pouquinho de contexto, garanto que o público entenda aquilo que publico.

E paro por aqui, pois esta lista já está longa.




sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

PARA QUEM GOSTA DE ESCREVER CORRETAMENTE



Charada gramatical: em que caso é possível colocar crase depois do "para"?



Criação do revisor Plínio Nunes.
Respostas nos comentários.



VAMOS RIR E APROVEITAR QUE, POR ENQUANTO, PRA RIR NÃO SE PAGA IMPOSTO

Vamos nos aproximar rindo do fim de semana. Correio do Povo publica hoje uma das mais hilariantes piadas reais de argentino.
A propósito. Conhecido do Amigomeu fez uma festa na sexta-feira com uma mulher maravilhosa. Chegou em casa de madrugada, disse que fez serão na empresa. Na manhã seguinte, saiu para a praia com a família: mulher, filhos e sogra. De repente, na freeway, ele olhou pra baixo e viu um pé de sapato. Pensou: "Aquela mina deixou o sapato no meu carro. Se minha mulher ver, estou fodido." Ele disfarçou, pegou o pé de sapato e jogou. pela janela do carro. Seguiu dirigindo, aliviado e assobiando. Na chegada à Capão da Canoa, quando a família começou a descer do carro, ouviu a voz da sogra: "Ué, o que será que aconteceu que meu sapato sumiu".

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

MAIS UMA PEQUENA ANÁLISE SOBRE A VIDA

A tempestade, às vezes, é como um bode na sala. Depois que ela passa, vem a esperança e a sensação de que antes não estava tão ruim como parecia.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

REFLEXÃO NA TARDE

"Faça o bem sem olhar a quem." É um ótimo conselho. Até porque, se você olhar bem, talvez não faça.


MAIS UMA REFLEXÃO ÓBVIA - SEGREDOS SÃO DIFÍCEIS DE SE MANTEREM EM SIGILO

     Quase nenhum segredo se mantém quando envolve mais de uma pessoa. Um segredo entre duas pessoas permanece se uma delas morrer antes de ter tempo ou motivo para revelá-lo. Algumas pessoas deixam este mundo levando consigo um segredo muito bem guardado. Outras, mesmo sendo o único guardião do segredo, não resistem e elas próprias contam por razões que vão desde a necessidade de aparecer ou até um sentimento de masoquismo.
    Quando um segredo envolve muitas pessoas, as chances de que seja mantido em sigilo são muito pequenas. Mentiras têm pernas curtas, mas a verdade, às vezes, usa um automóvel, mais modernamente Uber, e a alcança. Outras mentiras permanecem eternamente envoltas num manto intocável e só acabam sendo desvendadas por alguma inexplicável coincidência, como um tesouro encontrado por acaso em uma escavação de arqueólogos.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

FELIZMENTE OS VEREADORES DA CAPITAL REJEITARAM A PROPOSTA DE EXTINGUIR COBRADOR DE ÔNIBUS

Vereador favorável à extinção dos cobradores nos ônibus de Porto Alegre argumentou que, em tempos futuros, até o motorista do ônibus também deixará de existir. Quando isso acontecer, nem eu estarei vivo, nem esses vereadores. Eu penso que é muito cedo ainda pra pensar na retirada dos cobradores agora, apenas para diminuir os custos dos empresários do setor. Lembro que os cobradores ainda são importantes para auxiliar o motorista quanto ao trânsito e muito mais ainda aos passageiros.
     Como uso ônibus, ao contrário desses políticos que não estão nem aí para os trabalhadores, percebo a ajuda a passageiros, principalmente os idosos, orientando-o até que acomodem ou que se segurem quando o veículo faz curvas. Sem falar que, sem a presença dos auxiliares, os motoristas terão que deixar o volante para manejar a porta automática para deficientes. Sem o cobrador, todos os passageiros terão que usar cartão magnético, mesmo os que moram em outras cidades ou estrangeiros e não circulará dinheiro na roleta.

      Certamente os apoiadores dessa ideia de jerico pensam em usar cartões de crédito para o pagamento das passagens, como se toda a população dispusesse desse tipo de pagamento. Imagine-se o ônibus lotado, e o motorista tendo que receber e fazer troco. No caso das lotações ainda é possível. O que não é o caso dos coletivos. Sobre o argumento do vereadores que puxam o saco do prefeito e dos empresários, observo que edis também poderiam deixar de existir ou mesmo terem o número diminuído para reduzir as despesas que seus salários, muito mais altos dos que os dos vereadores, causam ao erário público.

domingo, 2 de fevereiro de 2020

HOJE É UMA DATA PALÍNDROMO. SABE O QUE ISSO SIGNIFICA? NADA, ALÉM DA CURIOSIDADE

   Alguns leitores estranharam, ao ler, no cabeçalho deste blog, os itens aos quais Vidacuriosa se dedica, especialmente o termo "palíndromo", ao qual não tenho contemplado quase nada no acervo. Palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades, em número ou letras, que possa ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita. Palindromo vem do grego: palin (novo) e dromo (percurso).
      Aproveitei este tema porque a data de hoje é um palíndromo: 02/02/2020. Tanto da direita para a esquerda, a sequência que dá é a mesma. O palíndromo mais famoso que conheço é "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos". Seria um palíndromo mais perfeito se não tivesse um hífen, mas não deixa de ser. Na verdade, os palindromos devem ser lidos sem considerar acentos nem espaços.
     Ao comentar a curiosidade de estarmos em um ano palíndromo, perguntei a uma colega se ela teria algum exemplo para me dar. Ela pensou um pouco, olhou pro teto, coçou a cabeça e respondeu: Ah, eu tenho um: ovo.

A seguir, outros palíndromos curiosos, publicados no blog Toda Matéria, da professora Márcia Fernandes, professora licenciada em letras)

"Anotaram a data da maratona"
"Luza Rocelina, a namorada do Manuel, leu na moda da romana: "anil é cor azul".
"O romano acata amores a damas amadas e Roma ataca o namoro"
"Seco de raiva, coloco no colo caviar e doces."
"Aibofobia é um palíndromo. Sabe o que significa? É o medo de palíndromos" 
E até o papa poeta é.
Arara rara.
"A gorda ama a droga."
"A base do teto desaba."
"Assim a aia ia a missa"
A Rita, sobre vovô, versos atira"
"O galo ama o lago"
"Oto come mocotó"
'O pateta ama até tapa"
"O lobo ama o bolo".

Millôr Fernandes faz um palíndromo perfeito, há algum tempo, como se estivesse adivinhando os tempos atuais de corrupção: "A mala nada na lama".


A data palíndromo de 02/02/2020, também conhecida como capicua (origem catalã que significa cabeça e cauda) é a última neste século 21. A anterior ocorreu em 20/02/2002. O próximo ocorrerá em 22/02/2022. 







quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

POR QUE TEM GENTE QUE ACHA QUE A TERRA É PLANA?

Acho que descobri por que muita gente acredita que a Terra é plana. É por um sentimento de procurar o diferente em sua maneira de pensar. Uma espécie de egoísmo e autoestima intelectual, de entender que, ao analisar as coisas diferentemente dos autodenominados sábios e de seus seguidores, usam o direito de discordar. Ou é só burrice mesmo. Acham normal, em alguns casos que, por serem brancos, são superiores às outras raças e, por serem héteros, que todo e qualquer tipo de comportamento sexual diferente deles é errado.
  O que leva, na minha opinião, a pensarem que a Terra é plana é o fato de que, quase tudo o que os rodeia, é aparentemente reto. Quase tudo produzido pela ação do homem é  quadrado ou retrangular: as casas, as paredes e os quadros nelas pendurados, os automóveis, as mesas, as cadeiras, as praças, a  tela do cinema e da televisão, os celulares. O campo de futebol tem forma geométrica reta. As exceções são a bola e as formas dos corpos dos jogadores,
    Eles não se dão conta de que tudo, ou quase tudo, que é da Natureza, não tem forma quadrada ou retangular, ou triangular. A Lua e o Sol aparentam a forma esférica. Não há plantas quadradas, e a forma geométrica do homem e dos animais não tem nome estipulado (pelo menos não tenho conhecimento. No caso das frutas há há várias relativamente redondas como laranja, limão, maçã, mais ou menos helicoidais como o abacaxi, o mamão e outras.
   Essas pessoas que seguem o guru diferente normalmente são fechadas a qualquer argumento ou prova. Não basta essa observação sobre a forma da Lua e do Sol. Elas contrapõem com a aparência de planitude da água do mar. E alegam, ingenuamente, que se a Terra não fosse plana, a  água do mar derramaria. O astronauta-ministro do governo Bolsonaro, que não gosta de contrariar seus correlionarios, já reafirmou que a Terra é redonda. E mesmo com a experiência de quem já viu nosso planeta a distância, no espaço sideral, tem gente que segue com a mesma ideia.

domingo, 26 de janeiro de 2020

THE VOICE E A MÚSICA DO RIO GRANDE DO SUL

Pra começo de postagem, quero dizer que curto muito o The Voice Kids. Infelizmente nem sempre consigo assistir integralmente ao programa. Mesmo assim, não posso deixar de fazer uma crítica construtiva: gostaria de ver músicas do Rio Grande do Sul no repertório dos participantes. Não estou pedindo para cantarem obras do Teixeirinha ou do Gildo de Freitas, que surtariam os produtores, jurados e boa parte do público. Mas há algumas que se encaixariam no programa como Asa Morena, do Zé Caradípia, gravada pela Zizi Possi,  algumas do Lupicínio Rodrigues, Cordas de Espinho, do poeta Luiz Coronel, e mais recentes como do Humberto Gessinger. Não faço uma crítica geral à Globo e posso dizer que fiquei feliz quando a novela Bom Sucesso colocou, na sexta-feira, personagem declamando uma poesia do gaúcho Mario Quintana.
Isto aqui não é chororô de bairrista. É apenas uma questão de justiça. Fico muito feliz quando ouço músicas nordestinas, especialmente as baianas no programa, ou de qualquer outro estado. Não sei se são os participantes que preferem cantar músicas bem mais conhecidas, algumas nem tanto, ou se é a produção que alija as músicas gaúchas. O próprio gauchinho que ganhou um dos programas se apresentou pilchado, mas cantou Beijinho Doce, música sertaneja. Até nas entrevistas repetiu o Beijinho, quando poderia aproveitar para mostrar a nossa música. Mas sinto que o Rio Grande do Sul é prejudicado e esquecido talvez por estarmos aqui no garrão do Brasil, tão longe do centro do país. Mas isso não faz sentido já que a Globo é nacional e seu produto consumido por todos os brasileiros, inclusive os gaúchos.
P.S. Tudo o que eu disse vale para o The Voice adulto


Pra Ser Sincero-Humberto Gessinger
Cordas de Espinhos-Luiz Coronel-M.A.Vasconcelos
Asa Morena-Zé Caradípia-Zezé Possi
Cadeira Vazia-Lupicínio-Elis Regina

domingo, 19 de janeiro de 2020

ANALISANDO DITADOS ANTIGOS


Águas passadas não movem moinhos

     De certa forma, essa frase faz sentido. Nunca ouvi falar de que as mesmas águas façam funcionar de novo o mesmo moinho, ainda que a topografia seja irregular e os rios, como a vida, deem voltas. Isso porque a lei da gravidade impede que elas subam e assim seguem inapelavemente na direção do mar.
      Mas é preciso dar-se conta de que as nossas águas poderão mover outros moinhos. Por isso, é importante que cuidemos de nossas vidas, que a nossa água seja forte, que não saiamos desnecessariamente do leito do rio e do caminho a ser percorrido em direção ao mar, a suprema felicidade. E que, embora não nos preocupemos em voltar atrás, reconheçamos a importância de ter feito moinhos funcionarem e o autorreconhecimento do bem que fizemos.


sábado, 18 de janeiro de 2020

RE(DES)CONSTRUINDO OS DITADOS ANTIGOS

A ocasião faz o ladrão

Essa frase parece te sido criada por advogados de defesa dos amigos do alheio. Para mim, o ditado correto seria: "O ladrão se aproveita da ocasião". Para quem não é ladrão, não importa se a porta está aberta, se a janela está destrancada, se a chave do carro está na ignição. Na verdade, os ladrões, os estelionatários, os assaltantes vivem buscando ocasiões, oportunidades, chances de cometer seus crimes. Os criminosos se aproveitam da ocasião, da fraqueza das vítimas. No caso dos vigaristas, dos estelionatários de plantão, eles se aproveitam-se não só da ingenuidade das vítimas como também do egoísmo de algumas delas e do seu espírito de levar vantagem em tudo e sobre os outros.
Não há um tipo único de ladrão, nem um único motivo para a existência dele. Há ladrões que se criam pela necessidade. Mas esse é um ladrão eventual que não segue roubando quando cessa a sua dificuldade a não ser que, além da necessidade, ainda tenha falha de caráter. Há ladrões que surgem devido à desigualdade social. Isso não abrange todos os casos, já que existe um grande número de ladrões ricos, que cometem delitos mesmo sendo integrante da parte mais abonada da sociedade, alguns descendem de famílias abastadas, outros são políticos que ganham altos salários. Para esses, a explicação é o egoísmo, que se verifica em ricos ou pobres.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

DIEGO GUICHARD DEIXA RBS E VAI PARA PORTUGAL

Depois de 20 anos de atuação, Diego Guichard está deixando a RBS. Ele anunciou planos de mudar-se para Lisboa, Portugal e, de lá, promete anunciar as suas novas atividades. Diego atuava ultimamente como editor do Globoesporte.com e como comentarista esportivo do programa Bom Dia Rio Grande. Em entrevista ao site Coletiva.net, Diego comentou que só tem boas recordações sobre o período de duas décadas no Grupo RBS. "Foi espetacular. Realizei muitos sonhos. Fiz de tudo lá", relembrou.
 Depois de se formar em jornalismo na Unisinos, Diego começou sua carreira aos 18 anos no Grupo RBS e ficou no mesmo emprego até agora.  Ainda que não tenha trabalhado em outras empresas, passou por diversos setores, adquirindo experiência desde o cargo de auxiliar de redação na RBS, passando por colunista de games de ZH Digital, redator do Click RBS, fotógrafo, setorista de Grêmio e Inter, entre outras atribuições. "Saio muito satisfeito", concluiu Diego Guichard. Até ontem, ainda não havia anúncio de quem irá substituí-lo nas funções.