quarta-feira, 13 de junho de 2012

PARA NÃO DEIXAR PASSAR EM BRANCO O DIA DOS NAMORADOS

     Amar é não precisar pedir perdão. E pedir, se precisar. E perdoar, se for possível. Amar é não dar motivos para desconfiar. E não desconfiar sem motivos. Amar é não sair fora diante de um problema qualquer. É resolver o problema junto com a pessoa a quem se ama. Se saiu, é porque não havia amor.
     Amar não é apenas fazer sexo. Viver junto e não fazer sexo também não é amar; pode significar amizade ou desamor. Amar é respirar o mesmo ar do outro sem sufocar nem sentir-se sufocado. É sofrer a mesma dor do outro e rir das mesmas coisas engraçadas.        
     Amor não se compra, não se vende, não se força, não se conquista; o amor existe ou não existe e nada no mundo consegue mantê-lo se dois seres não são destinados um para o outro.
  Para os românticos, apresento, a seguir, uma das mais belas poesias sobre o amor. Quem conhece, gosta de recordar. Quem ainda não viu normalmente se encanta.

SONETO DA FIDELIDADE
Vinicius de Moraes
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.




Nenhum comentário: