terça-feira, 20 de julho de 2010

TEM GENTE QUE NÃO MUDA MESMO

Leio nos sites que a atriz Lindsay Lohnan começou a cumprir sua pena de 90 dias a que foi condenada nos Estados Unidos. Ela descumpriu os termos de sua liberdade condicional ao faltar a aulas de orientação sobre o alcoolismo. As aulas faziam parte de uma condenação anterior por dirigir alcoolizada. Os sites contam que na cadeia, a atriz não terá chuveiro particular e só poderá tomar banho de dois em dois dias. Será mantida em uma solitária, sem contato com outras presas quando estiver em sua cela. Terá direito a se exercitar três vezes por semana e receberá três refeições por dia.



Ao ler essas informações, fico imaginando o que acontece no Brasil. Quem é preso dirigindo embriagado, dificilmente vai para a cadeia, especialmente se tiver dinheiro para um bom advogado. Mesmo quem comete crimes hediondos, que mata, rouba, estupra ou aplica golpes, que agride e ameaça ou põe fogo até em veículos da polícia, não tem o mesmo tratamento dispensado à atriz norte-americana.


Se vai para a cadeia, não precisa trabalhar se não quiser. Recebe visita a varrer. Tem até visita íntima. Usa telefone celular para comandar o tráfico de drogas e assaltos. Ou para pedir aos parentes e amigos uma comidinha diferente da gororoba da prisão. Vinga-se de quem o denunciou ou de quem não se esforçou para que não fosse descoberto. Isso sem contar ligações estranhas com gente que, por sua função, deveria se empenhar para que tivesse bom comportamento.


Por isso tudo, não é de espantar que não haja recuperação de quem caiu no crime, já que uma pena não interrompe em nada a vida errada que o malandro leva. Um dia eu ainda espero ver os criminosos trabalhando para pagar suas despesas, ajudar suas famílias e lutando para se recuperar. Mas, por enquanto é um sonho. Vejo políticos prometendo solucionar os problemas e tudo continua igual.


Um comentário:

Delafonte disse...

É, mano, nas prisões tem categorias diferenciadas, chegando a celas que tem padrão de hotel cinco estrelas. Tem preso que entra na prisão e é celebrado com um popstar.