quarta-feira, 15 de outubro de 2008

VOCÊ JÁ TROCOU O NOME DAS PESSOAS?

Uma das coisas mais curiosas que eu conheço é a facilidade com que as pessoas confundem os nomes das pessoas. Se os nomes são iguais ou parecidos, invariavelmente sofrem com as confusões. Na Rádio Gaúcha, dois excelentes repórteres enfrentam esse drama. E nem têm nomes iguais. Um é o Jocimar Farina, que também trabalha no Diário Gaúcho. O outro é Josmar Leite. Só porque os dois nomes começam com Jo e terminam com Mar, muita gente os confunde.

Jocimar me contou outro dia que uma fonte ligou para ele e deu explicações sobre um determinado assunto, sobre o qual eles já haviam falado havia algum tempo e não havia qualquer novidade. Ele achou isso estranho, mas deixou pra lá. Até que seu colega Josmar queixou-se de que uma fonte havia ficado de dar uma resposta sobre um assunto e não ligou mais. Foi aí que o Jocimar entendeu. O funcionário público deu a resposta para o outro jornalista.
Em outra ocasião, Jocimar tentava falar com o deputado Adilson Troca. O jornalista falou com o parlamentar por telefone e marcaram uma entrevista no saguão da Assembléia. Jocimar chegou ao local e ficou aguardando o parlamentar. Alguns minutos depois, o deputado chegou e viu Jocimar, mas ficou olhando para os lados como se procurasse alguém. O repórter então se aproximou dele para fazer a entrevista. Quando se apresentou, Troca (fazendo jus ao nome) admitiu ter feito confusão achando que havia falado com Josmar e que por isso que não o havia localizado no saguão.
Fanático por trocadilho, tenho de registrar uma frase de Franklin Berwig, produtor de esportes da Gaúcha, sobre o assunto:
_ Sabem o que dá uma mistura de Jocimar Farina com Josmar Leite? Dá bolo.
Como meu costume é sempre dar um pitaco a mais, eu acrescentaria mais alguém nessa mistura: o ministro da Fazenda, Guido Mantega. (Fico devendo o açúcar, os ovos e o fermento).

6 comentários:

Dalva M. Ferreira disse...

É curioso mesmo. Cada nome que o povo coloca nas coitadinhas das crianças... O meu nome não é feio nem bonito, mas já remete à cantora Dalva de Oliveira. Cada dia menos, visto que ela já é meio antiguinha(e eu também). Há uns 200 anos, eu trabalhava num arquivo, mais especificamente arquivo-morto. Cada nome que eu encontrava ali! Entre tantos, lembrei agora de "Frank Sinatra da Silva".

Dona Sra. Urtigão disse...

De certa forma esta falta dos outros, me fez dar risadas com seu texto e me acrescentou saude.
Agradecida

Mauro Castro disse...

Rapaz, eu sou dono de trocar o nome das pessoas. Ou então, o que é pior, esquecer como se chamam...
Há braços!!

vidacuriosa disse...

Isso também me acontece, Mauro. Eu começo trocando nomes das filhas. Trocar nomes de colegas é corriqueiro. E isso de esquecer nomes, então. O pior é que eu sei que sei o nome, parece que já vou me lembrar, mas o danado do nome não vem. E, a medida que o tempo vai passando, a coisa piora. Acho que é hereditário, pois meus pais trocavam os nomes dos filhos com freqüência. Minha mãe dizia até cinco nomes dos filhos para no fim acertar o que ela queria.
Abrs.

Anônimo disse...

gostei muito e eu já troquei nomes de pessoas



diana

vidacuriosa disse...

obrigado pelo elogio, Denise, ops, Diana. rsrsrs