sexta-feira, 16 de junho de 2017

A ORIGEM DOS NOMES DOS MESES

A imensa maioria dos habitantes do chamado mundo ocidental acompanha todo ano, dia a dia, mês a mês, o calendário sem se dar conta da origem desse ritual e dos nomes dos meses. O atual calendário é chamado de gregoriano. Foi aprovado pelo papa Gregório XIII em 1582, com o objetivo de ajustar o Calendário Juliano, criado em 45 a.C, em que o imperador Júlio César reformou a partir do antigo calendário romano, criado no ano 7 a.C, por Rômulo, segundo reza a lenda. Nessa época, o ano tinha 304 dias, divididos em dez meses. Começava em março e terminava em dezembro. Com o passar do tempo, o sistema foi ficando defasado porque, na verdade, o ano solar (período de translação da terra, girando em torno do sol, tem 365,5 dias. O imperador de então, Numa Pompílio, criou mais dois meses, janeiro e fevereiro, para incluir a diferença de 51 dias. Júlio César incluiu, em sua própria homenagem, o mês seis, nomeando-o como Julho. Seu sucessor, Augustus, fez o mesmo. Criou mais um mês, Agosto, para se auto-homenagear. Como Julho tinha 31 dias, Augustus tirou dois dias de fevereiro para colocar no seu. Depois de Agosto, vieram setembro (sétimo), outubro (oito), novembro (nove) e dezembro (dez).
  Em 1582, aprovado pelo papa Gregório XIII e adotado pelos turcos no estado católico, o calendário gregoriano foi imediatamente usado na Espanha, Itália, Portugal e Polônia. Em França, Henrique III decretou o ajuste dos dias em dezembro.
A Grã-Bretanha e os países protestantes apenas adaptaram o novo calendário no século XVIII, preferindo, segundo o astrônomo Johanes Kepler, "estar em desacordo com o Sol e estar de acordo com o Papa". A adoção do calendário na Grã-Bretanha e suas colônias em e1752 foi pretexto para protestos e motins porque muitos pretendiam receber o seu salário mensal em vez da correta proporção de 21 dias de trabalho efetivos.
Os países da tradição ortodoxa apenas o adaptaram no início do século XX. Na Rússia, só após a Revolução de Outubro de 1917, que, segundo o calendário gregoriano ocorreu já em Novembro, é que a recém-formada URSS adotou o calendário gregoriano, em 1918.


JANEIRO

Primeiro mês no calendário gregoriano, janeiro se origina do deus grego Janus, que significa aquele que tem duas cabeças em direções opostas, uma que olha para o passado e outra para o futuro. Por isso, em português, temos a palavra janela, de onde pode se olhar tanto para fora quanto para dentro. Janeiro fica exatamente no portal dos dois anos, olhando para o ano que se finda e para o que entra. Isso em português.
 Já em inglês, o nome da janela tem a ver com a capacidade de abertura da casa de permitir o que se passa lá fora e, ao mesmo tempo, impedir o vento ou a chuva. Na língua de Shakespeare, window, na de Don Quijote, ventana.



FEVEREIRO
Fevereiro, segundo mês do calendário gregoriano (1502), que se originou do calendário Juliano (45 a.C), que o imperador romano Júlio Cesar reformou 
partir do antigo calendário romano, criado no ano VII, antes de Cristo.  A palavra FEVEREIRO deriva do grego "februa" para o latim "februaris", deus da morte e da purificação, retirado da mitologia dos etruscos, povos que habitavam a península itálica, na região da Toscana e uma parte no Lácio e na Úmbria, local ocupado depois pelos romanos. Nesse mês, era feita a festa "februa", onde ocorriam sacrifícios para acalmar os deuses. Primeiro, fevereiro também tinha 29 dias e 30 dias (nos anos bissextos). Acabou ficando com 28 (um a mais em anos bissextos) porque o imperador Augustus, ao botar seu nome no oitavo mês, tirou um dia para que agosto ficasse o mesmo número de dias de julho, criado por seu antecessor, Julius Cesar, que também havia se auto-homenageado colocando seu nome no sétimo mês.

Em inglês, February.
Em espanhol, Febrero,
em italiano, Febbraio, 
em francês, Fébrier.
em alemão, Februar


MARÇO

Março é o terceiro mês no calendário gregoriano. Tem 31 dias. Surgiu na Roma Antiga, quando era o primeiro mês do ano e se chamava Martius (Marte), em homenagem ao deus romano da Guerra. No Hemisfério Norte, março é o primeiro mês da primavera, cujo clima era propício para o começo das campanhas militares do império romano. 
Em 45 a.C, março deixou de ser o primeiro mês do ano. O imperador Júlio César reformou o calendário criando os meses de janeiro e fevereiro, em homenagem a Janus, deus com um olhar para o passado e outro para o presente, e Februaris, deus da morte e da purificação.
  De Marte, deus da guerra, originam-se as palavras "corte marcial" (foro para julgar os crimes cometidos durante a guerra), e artes marciais (aprendizado de técnicas de defesa pessoal e ataque visando à guerra).


ABRIL

Abril é o quarto mês do calendário gregoriano. O nome deriva do termo latino Apriles, que significa "abrir", em referência à germinação das culturas e a abertura das flores. Faz sentido porque nessa época do ano é que florescem as flores na Itália, região ocupada inicialmente pelos etruscos e mais tarde pelos romanos. No hemisfério norte, Abril marca a estação da primavera. Diante desse cenário, os habitantes criaram o nome do mês.

     Outra hipótese é que Abril seja derivado de Aprus, nome etrusco de Vênus, deusa do amor e da paixão. Mas o sentido de abertura das plantas parece ser o mais provável.


MAIO
Maio é o quinto mês do calendário gregoriano. Seu nome é derivado da deusa grega Maia, filha de Atlas, o titã grego que foi condenado por Zeus e segurar o mundo em seus ombros como punição por ter participado de uma tentativa de invasão do Monte Olimpo em busca do  poder supremo. Maia era mãe de Hermes, divindade do comércio e da eloquência. Maio era conhecida como Deusa da Primavera e da fertilidade.

JUNHO

Deusa Juno, da mitologia romana
Junho é o sexto mês do calendário gregoriano. Tem 30 dias. O nome, junho, tem origem na deusa romana Juno, mulher do deus Júpiter. Na mitologia romana, é considerada a deusa dos deuses, representada pela figura do pavão, sua ave favorita. A correspondente na mitologia grega é Hera. Juno e Júpiter tiveram cinco filhos:Lucina, deusa dos partos e gestantes, Juventa, deusa da juventude. Discórdia, Marte, deusa da guerra e Vulcano, o artista celestial, que tinha um defeito em uma perna, por ter sido jogado para fora do céu por ter interferido em uma briga dos pais.

Nenhum comentário: