quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

DICA PRA VOCÊ QUE MATAVA AULA DE PORTUGUÊS

Esta "aulinha de gramática" é uma dica pra você que sempre disse odiar a disciplina de Português e que matava com prazer as aulas sobre gramática, análise sintática e afins. Pra você que dizia não ver sentido em aprender essas "baboseiras" que não lhe serviriam para nada. Você nem imaginava que viveria esse tal de Facebook em que você tem que escrever em público e pagar os micos que paga. Mas, seus problemas acabaram. Veja com atenção as dicas para não ficar trocando a palavra "mal" por "mau". Nem vice-versa.
    Bote na cabeça que mal é antônimo de bem e que mau é antônimo de bom, e então ficará mais fácil.


   "Se você me disser que está se sentindo mal hoje, eu lhe aconselho a ver um médico clínico-geral."
   "Se você me disser que está se sentindo mau hoje, eu lhe aconselho a ver um psicólogo ou psiquiatra".

Bom e mau são adjetivos, ou seja, qualificam ou desqualificam substantivos, como são chamados os nomes das pessoas e das coisas.

Mal e bem podem exercer as funções de advérbios, porque modificam os verbos.  Exemplos: O jogador atuou mal na sua estreia. O novo aluno foi bem aceito na nova escola.
Mal pode ser conjunção, que serve para ligar orações: "Ele mal chegou e já o botaram no serviço".

Mal e bem também podem ser substantivos: "Não há mal que sempre dure nem bem que não se acabe".

Nenhum comentário: