sexta-feira, 26 de junho de 2015

DIVAGAÇÕES MATUTINAS

De que te valem essas pérolas no pescoço
se não tens a quem mostrá-las no ostracismo?
De que valem as joias que escreves
se as mantém no ineditismo?
De que te vale o brilho das estrelas
que a solidão te produz
se não tens a quem iluminar com a tua luz?
Por que escreves teus poemas na areia
se as ondas do mar os lambe e os deleta
antes que te possam ler as sereias?
É porque, como disse o poeta Ortega Y Gasset,
o ser humano é ele e sua própria circunstância.
 
 
 
 
Que tenhamos todos um bom dia, que seja alegre e profícuo.

Nenhum comentário: