terça-feira, 10 de junho de 2014

PALAVRAS E EXPRESSÕES QUE MEUS PAIS DIZIAM E QUE NÃO OUÇO MAIS

Meus pais, Walter e Ítala, que já passaram para o outro plano há vários anos, repetiam a cultura oral da época, ele nasceu em 1922 e ela em 1924, e do local em que viviam, em Bagé e em Seival, que na época pertencia a esse município da Campanha e que hoje pertence a Candiota. Todas as palavras e expressões que usavam eram uma mistura do português trazido pelos lusitanos, mesclado ao tupi-guarani dos povos nativos, além do espanhol, já que moravam na fronteira com o Uruguai. Além disso, ambos eram filhos de pais uruguaios e mães brasileiras. Outra influência no linguajar deles era o francês que, na época, espalhava-se pelo país, em termos culturais, como ocorre hoje com o inglês, embora em menor escala. Nunca mais ouvi algumas dessas expressões. Outras delas aparecem na trilogia O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo.


"Bota esses carpins sujos em cima da pileta que depois eu lavo" (Coloca as meias usadas em cima do tanque de lavar roupa.)
"Não te pelo (pélo) tchê"!(Preciso pesquisar, mas parece que significa "não acredito em ti, não te levo a sério")
"Tem que botar cangalha nesse animal, que ele costuma bandear o arame". (Cangalha são pedaços de pau atados em forma de triângulo e colocados em volta do pescoço da ovelha ou do bovino para que ele não atravesse pelo meio dos fios do alambrado. A palavra vem do tupi-guarani em que cang, significa pescoço.
'Não doutoreia comigo, guri." (Não sejas respondão, não sejas metido a doutor.)
"De manhã, as narinas dos piás ficam cheias de picumã por causa das lamparinas. (Na ausência da luz elétrica, a queima do pavio de pano e do querosene das lamparinas deixavam pretas no nariz das crianças.)
"Sujeito mais calaveira esse". (Viciado em jogo de cartas ou jogo do osso.)
Este maleva tomou um frapê que estava no itajer, não pagou o bolicho, saiu e nem fechou a tramela (Maleva tem origem na palavra mal, significava algo como malandro, ou alguém do mal, frapê vem do francês e significa batida (leite com frutas misturados no liquidificador. Hoje o pessoal chama de frapê uma bebida feita com leite integral, sorvete sabor cappuccino, cobertura de chocolate, canela e chantilly. Itajer, também do francês, significa cristaleira, armário para a louça).
"Este quarto está uma mixórdia, tem uma miscelânea que não sei como foi parar aí dentro." (Mixórdia é bagunça, miscelânea é um conjunto de coisas diversas misturadas.
"Fulano é todo metido mas não tem eira nem beira." (Sujeito que não tem casa ou lugar próprio para morar. Eira é um pedaço de terra e também uma parte do pátio cimentado que era usada para colocar sementes.
Montou no petiço e se mandou pro campo pra bombear o gado. (Petiço é um tipo de cavalo de baixa estatura, bombear é espiar o gado. Nas guerras, os que iam na frente para ver se havia inimigo pelas cercanias eram chamados de bombeiros.)
"Não me abraça tão forte assim que tu estás me pisando. (O verbo pisar era sinônimo de machucar e não apenas pelo pisão no pé.)
"Os dois maturrangos acabaram fazendo com que os matungos se pechassem." (Maturrango é quem não sabe andar direito a cavalo. O mesmo que barbeiro, em relação aos carros. Pechar se origina de peito, pecho em espanhol, e se estendeu para o sentido de colisão. Matungo é cavalo bem manso.)
"O touro se botou no cuera, ele se enveredou pro arroio e se boleou na água. (O touro atropelou em direção ao cara, que correu em direção ao arroio e se jogou na água).





Nenhum comentário: