terça-feira, 11 de junho de 2013

MISTÉRIO DO MAPA DO TESOURO ESCONDIDO NO OLÍMPICO

Amigomeu tem um amigo que é filho de um importante conselheiro do Grêmio. Semana passada, esse amigo, o pai dele e Amigomeu foram visitar o  Olímpico. O estádio será implodido, já que fez parte da transação comercial para permitir a construção da Arena, na zona norte da cidade.
    Caminhando em meio às arquibancadas, Amigomeu e o amigo dele começaram a imaginar como seria a desconstrução do estádio. Em um cantinho, os dois descobriram um vão na parede e, um pouco mais para o fundo, algo que lhes pareceu bastante estranho. Os dois puxaram um pacote achatado que havia no local. O achado foi levado discretamente para a casa do amigo do Amigomeu.
    O embrulho era um retângulo com medidas de 30cm x 60cm com  espessura de aproximadamente 5cm. Um material de couro curtido de boi cobria o objeto de lata. Dentro, envolvido em uma cartolina, havia material da data da inauguração do estádio, em 1954, com exemplares do Correio do Povo, da Folha da Tarde Esportiva e do Diário de Notícias sobre o torneio triangular que envolveu Grêmio, Inter e Liverpool de Montevidéu. O Inter foi o campeão e levou a taça Relógios Eska, oferecido pela Casa Magnus, vencendo as suas partidas. Antes do torneio, na inauguração, no dia 18, o Grêmio havia ganhado por 2 a 0, do Nacional, com Vitor marcando o primeiro gol do Estádio Olímpico. No torneio, o Inter derrotou o Liverpool no dia 20, por 4 a 0, e o Grêmio fez o mesmo placar no time uruguaio. No Gre-Nal, do dia 26, o tricolor perdeu por 6 a 2.
    Como havia aquela derrota acachapante, o gremista amigo de Amigomeu preferiu não dar divulgação à localização do material. Desgostoso, entregou para Amigomeu os jornais e a caixa. Em casa, Amigomeu encontrou duas cartolinas coladas e descobriu que havia um papel no meio. Era uma espécie de mapa de tesouro que marcava um xis no lado de fora do estádio após uma trilha sinalizando 279 passos na rua a partir do portão número 7 na direção sul. Naquela época, ainda não havia portão número 8. Hoje, dá para ver que não há o número 7. Curioso, Amigomeu contou os passos e descobriu, no final, um xis marcado no chão da calçada. Eram duas hastes de ferro, em forma de x, que fechavam a tampa de um buraco, conforme foto.
 Ali, na Rua Gastão Mazeron, estão sendo realizadas obras para o alargamento da rua que irá até a Avenida Moab Caldas na Vila Cruzeiro, juntando-se à via que está sendo feita para ligar o Barra/Shopping com o Aeroporto, visando à Copa de 2014.

Croquis sobre o jogo de inauguração no Olímpico
Amigomeu pensou em cavar à noite no local, mas ficou com medo de ser flagrado. Então contou a história ao operário que manejava uma retroescavadeira e pediu-lhe que aumentasse mais o buraco onde está o xis. O trabalhador riu e disse que só tinha ordens para trabalhar na rua. Se fizesse o que ele lhe pedia, seria despedido.
Amigomeu não acreditou. Achou que o operário iria cavar sozinho para pegar o tesouro. Por isso, todos os dias ele costuma passar naquele local para ter certeza de que não estão mexendo na calçada.


O xis na calçada e, ao fundo, o Estádio Olímpico


2 comentários:

Anônimo disse...

Já acreditei.

vidacuriosa disse...

Ah,ah,ah. Boa Anônimo.
]