sábado, 27 de outubro de 2012

MISTÉRIO COMPLETA UM ANO

Cristiane está sumida desde o dia 27 de outubro
O mistério do desaparecimento de Cristiane Oliveira de Oliveira, 32 anos, está completando um ano hoje. Uma das coisas que não consigo entender é o fato de uma pessoa sumir assim, de repente, evaporar, e a polícia não conseguir descobrir o que aconteceu. Isso em pleno século XXI, quando há equipamentos impressionantemente capazes de ajudar a descobrir como fatos acontecem. Eu não preciso procurar muito para saber qual é a causa, mas isso eu acho que todo mundo sabe. A polícia já tem equipamentos modernos, mas ainda age como se estivesse no século XVIII.
 
     Cristiane sumiu no dia 27 de outubro do ano passado. Moradora do bairro Restinga, estava afastada havia seis meses, por licença-saúde, do seu emprego de funcionária de uma farmácia, por conta de uma tendinite no pulso direito. Ela foi vista pela última vez logo após ter deixado a filha Gabriela, então com sete anos, à uma da tarde, no colégio, e seguido, de bicicleta, para ver como estavam as obras de sua casa no bairro Lageado, também na Zona Sul da Capital.
    Após registrar o desaparecimento de Cristiane, a família passou a procurar pelas ruas buscando alguma informação que permita descobrir o que aconteceu com ela. Os familiares alugaram até um helicóptero, que sobrevoou o local onde ela foi vista pela última vez, mas nenhum resultado foi obtido.
Um pedreiro que trabalha nas obras da nova casa, disse à família que Cristiane esteve no local, deu banho no cachorro e saiu dizendo que iria buscar a filha no colégio.
     Cristiane não foi mais localizada. Conforme a família, ela vestia uma camiseta branca, calça legging preta e boné de cor laranja. A bicicleta branca e azul que ela utilizava também não foi encontrada. Angustiados, os familiares dela - pais e sete irmãos - fizeram buscas nos hospitais da cidade e região e colocaram cartazes com a foto dela para tentar localizá-la. Policiais da 16ªDP e da Delegacia de Homicídios e Desaparecidos começaram a investigar o caso.
O marido de Cristiane, Rodrigo Veloso Freitas, 30 anos, disse que ela não tinha qualquer problema, que pudesse levar a um desaparecimento voluntário:
- Ela não bebia e não fumava. A gente não brigava, só as brigas normais de casal, nada alarmante – comentou Rodrigo, acrescentando que tudo estava pronto para a mudança e que o casal e a filha passariam o Natal na nova casa.

Qualquer informação para ajudar a localizar Cristiane ou descobrir o que houve com ela poderá ser dada para o órgão policial mais próximo.
* Com informações do Diário Gaúcho

Um comentário:

vidacuriosa disse...

Novidades em fevereiro de 1014. Encontrado corpo escondido na construção da casa de Cristiane e do marido. Confira.