terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

REAPROVEITANDO A ÁGUA DA LAVA-ROUPAS

Uma das palavras mais feias que conheço em português é desperdício. Na apenas pela sonoridade e pela grafia, mas principalmente pelo significado. Desperdício, seja do que for, está quase sempre impregnado de um sentido de burrice e até mesmo de injustiça. Desperdício de água, por exemplo, é mais do que uma burrice. É uma injustiça que se comete num tempo em que esse líquido tão importante para a vida humana está ficando escasso justamente pelo aumento desenfreado da população e do consequente consumo, isso sem falar nas políticas desumanas de quem tem poder no mundo. O químico francês Antoine Laurent de Lavoisier (1743 /1794) criou a célebre frase: "na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". O grande problema é no que algo se transforma e nos problemas gerados por uma transposição dos elementos químicos.
  Um dos desperdícios que me chamam muito a atenção é o da água usada pelas lava-roupas. Pouca gente se dá conta da grande quantidade do líquido que é jogado fora após uma lavagem. Embora eu nunca tenha visto uma máquina de lavar roupa com um sistema de reaproveitamento d'água acoplado, sei que existem residências modernas em que a água da lavagem é reaproveitada. Mas em 99,9% das casas, a água da lava-roupa se esvai pelo ralo.
 Quando eu ainda morava em apartamento, até quase três anos atrás, eu já pensava na questão. Pensei em conversar com o síndico do edifício para aproveitar a água das lava-roupas e usá-la na lavagem da calçada do prédio ali na frente do laguinho do Largo dos Açorianos, no Centro de Porto Alegre. De repente, até poderíamos ceder água para o lavador de carros que habitualmente trabalhava ali. Mas minha idéia ficou apenas no pensamento.
  Agora, em uma casa, voltei a analisar o assunto. Comecei a pensar na palavra desperdício porque, além de colocar fora tanta água na lava-roupa, ainda gastava mais com mangueiradas para limpar a área cimentada do pátio onde o labrador Bolt faz suas necessidades diárias. Com canos de PVC e uma garrafa pet, encontrei uma solução para reaproveitar a água. Com isso, economizarei não apenas a água do planeta, diminuindo minhas despesas, como também vou poupar com o sabão em pó que era usado junto com a mangueirada. Por conter sabão e amaciante, a água não é utilizável nas plantas. Para isso, pretendo comprar um tonel e usar uma calha para recolher a água da chuva.

Nenhum comentário: