domingo, 18 de dezembro de 2011

INVENTOR GANHA PRÊMIO POR AJUDAR A DIMINUIR DOR NO DENTISTA

Vladimir Airoldi criou uma broca que usa diamante
Este país é realmente estranho. Grande parte do povo tem heróis bem bizarros. Participantes de programas de televisão ficam confinados alguns meses, nada produzem nem material nem intelectualmente e são reconhecidos nas ruas. Alguns recebem presentes e empregos na televisão. A mídia dá enorme destaque até para um passeio na praia ou um simples abraço ou beijo. Alguns jogadores de futebol viram astros rapidamente, ganham salários astronômicos e tornam-se centros de interesse. Qualquer novidade sobre uma “celebridade” televisiva ou sobre um craque conhecido que muda um corte de cabelo, por exemplo, ganha espaço em jornais, rádios, jornais e internet.

     Já as pessoas que realmente fazem algo bom para a sociedade não são valorizados. Zapeando na TV a cabo, deparei-me ontem à tarde com a presidente Dilma Roussef participando da entrega do Prêmio Inovador do FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia) para a categoria inventor inovador. Era um tape do dia 15 de dezembro, dois dias atrás. Tive de suportar discursos e ouvir os nomes das empresas vencedoras, mas, sobre o ganhador da categoria “inventor inovador”, mal e mal ouvi o nome. Precisei pesquisar no Google.
   No site do FINEP, depois de ver os nomes das empresas destacadas, li que Vladimir Jesus Trava Airoldi, 55 anos, de São Paulo, doutor em Física pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), foi premiado por ter desenvolvido uma ponta ultrassônica com diamante-CVD e o seu processo de obtenção. O dispositivo pode ser usado em preparos dentários de qualquer especialidade, incluindo cirurgias ósseas buco-maxilares e ósseas, especialmente ortopédicas. Traduzindo: a invenção usa diamante na broca de dentista e substitui a rotação pelo ultrassom, reduzindo barulho e dor e protegendo o tecido. Vladimir trabalha no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e esteve na NASA há 20 anos, fazendo pesquisas. A categoria Inventor Inovador era apenas para candidatos com patente concedida no INPI e efetiva comercialização de suas criações nos últimos três anos


Por falar em inventor, você sabe quem criou o aparelho Bina e o que esse nome significa? Veja em http://vidacuriosa.blogspot.com/2008_06_01_archive.html


Os outros ganhadores do Prêmio Inep foram os seguintes:


* Grande Empresa: Braskem, a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e maior produtora mundial de polipropileno e PVC, utilizados na fabricação de sacos e embalagens plásticas, brinquedos, copos descartáveis, material hospitalar esterilizável, autopeças, material aquático (como pranchas) e outros.


* Pequena Empresa: Reason Tecnologia (SC), empresa de capital nacional que se dedica a desenvolver soluções de alto valor agregado para o sistema elétrico e industrial, com tecnologia totalmente nacional.


* Média Empresa: Scitech Produtos Médicos (GO), fundada em 1996, teve como primeiro desafio implantar no país a primeira fábrica 100% brasileira dedicada a desenvolvimentos próprios e inovações em produtos da área da saúde inseridos no mercado de dispositivos médicos minimamente invasivos.


* Instituição Científica e Tecnológica: Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (PE), foi criado em 1974 e oferece cursos de graduação e pós-graduação. Trata-se de um dos centros brasileiros de referência em várias áreas da Computação, como Engenharia de Software, Inteligência Artificial, Linguagens de Programação, Lógica, Redes, Sistemas Distribuídos e Sistemas de Computação.


* Tecnologia Social: Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas da Ilha das Cinzas (Amapá) foi premiada pelo projeto Manejo Comunitário de Camarão de Água Doce. O sistema usa armadilhas graduadas para capturar apenas camarões grandes, liberando os que ainda não estão aptos ao consumo. Isso permite que os estoques naturais da espécie se mantenham.






Nenhum comentário: