domingo, 9 de outubro de 2011

O GURI DE URUGUAIANA CONSULTA COM O ANALISTA DE BAGÉ


Desenho de Edgar Vasques
E aí, guri? Mas bá!!
Preocupado com o sucesso repentino e estrondoso, o Guri de Uruguaiana resolveu clarear as ideias com o psiquiatra mais famoso da história rio-grandense. Não levou o Licurgo de carancho porque ficou com medo. Já tinha lido umas histórias fortes do Analista de Bagé. Entre um mate e outro, foram proseando. Acompanhe:
Analista – Mas e aí, índio velho? Qual o mal que te aflige?
Guri – Tô com uns problemita aí.
Analista – Problema todo mundo tem. Só o Guarany que não tem. Tá na última divisão do campeonato gaúcho e não há como cair mais. Mas o que te incomoda? Li que tu tá fazendo mais sucesso que parteira de campanha. Soube que foste pro São Pedro, pensei que tu tinha sido internado, mas era o teatro.
Guri – Pois é aí que eu me refiro. Nas minhas apresentações tem mais gente que mosquito em bosta de vaca, o pessoal até gosta dos meus floreios. É que também existem os detratores e até os de caminhonetes. Eles dizem que tenho fixação na letra da música Canto Alegretense. Daí que tenho uns pesadelos mais cabeludos do que aqueles que têm sogra jararaca no meio. Primeiro foi o Nico Fagundes, autor letra, que queria mil contos por cada vez que eu repetia a paródia. Noutra noite, o Bagre Fagundes, autor da melodia, corria atrás de mim com um mango só porque as presepadas eram apenas com a letra feita pelo mano dele. Mas fora dos sonhos, eles até me tratam bem, foram ao show e coisa e tal.
Analista - Só isso?
Guri – Teve uma noite que um bando dos fãs dos Beatles queria me bater o brim. Os do Michael Jackson, no sonho lá, me agarraram e me fizeram engolir um remédio receitado por um médico norte-americano que foi me branqueando os bigodes e eu morri! Acordei suando mais do que quando se faz amor em cima dos pelego.
Analista – Tchê, tá te preocupando à toa, enxergando cabelo em ovo. Também sofri com um pessoal que achava que eu estava debochando do Freud e de Bagé.
Guri – Outra complicação é que meu criador nem é de Uruguaiana. É de Porto Alegre e até participou de uma banda moderna chamada Canto Livre.
Analista – Bá! Tu achas que o Verissimo é da Rainha da Fronteira? Isso não impediu o meu sucesso. Segue firme, tchê.

Mais detalhes sobre o Guri e sobre o Canto Alegretense em posts plantados por aí afora no campo do blog.