segunda-feira, 27 de junho de 2011

MAIS COMENTÁRIOS SOBRE A CRASE

Não colocar sinal de crase onde existe é lamentável, mas pôr o acento grave onde não tem é pior ainda. Para ajudar nessa tarefa difícil, VidaCuriosa apresenta hoje casos nos quais não há existência de crase. É bom constatar a inexistência de contração de preposição a com artigo feminino a.

  1) Diante de palavra masculina. Exemplo: Em minha infância na Campanha, apreendi a andar a cavalo.
Atenção: Às vezes, há crase diante de palavra masculina mas é porque existe alguma palavra feminina oculta. Exemplo: Resolveu escrever à (moda) Luis Fernando Verissimo.
  2) Diante de verbo: Dediquei-me a viajar durante as férias.
  3) Diante de palavra no plural: Refiro-me a jogadas ensaiadas.
  4) Expressões de tratamento: Enviou mensagem a Sua Reverendíssima.
(Atenção para as exceções: dona e senhora. Entreguei o livro à Dona Maria (a a) para a Dona Maria) Enviei as cartas à senhora. (a a), para a senhora)
  5) Pronome pessoal: Entreguei o papel a ela.
  6) Pronomes indefinidos: Falarei isso a qualquer pessoa. A certa altura, ela começou a chorar.
  7) Pronomes demonstrativos: Fiz uma poesia a cada companheira de luta; nada se compara a esta vida.
Atenção para as exceções: Fiz elogios àquela atriz, àquele cantor, àqueles artistas. O motivo é a contração da preposição a com a inicial a desses demonstrativos.
 8) Artigo indefinido: Chegamos a uma boa conclusão. (Não confundir com "Chegamos à uma (1h) da manhã e saímos às duas.(a a uma). Nesse caso, há artigo diante da palavra feminina uma, que é numeral.)
9) Depois de preposição: Falaremos perante a Justiça. O crime aconteceu após a festa.
  Mais uma dica: sempre que aparecer a palavra devido, seguida de palavra feminina, muita atenção porque provavelmente é caso de crase. Veja sempre se há preposição e artigo. Devido à crise, aumentou o desemprego. (Se passando para o masculino der devido ao é porque há crase) No caso de "devido a uma crise", não há por causa desse artigo indefinido aí (número 8).

Outra dica: para saber se o "a" é preposição ou artigo, é importante examinar o verbo. Se ele for transitivo direto, o a é artigo. Se for transitivo indireto requer preposição. Exemplo: O carteiro entregou a correspondência (sem crase). O carteiro recebeu a correspondência e a entregou à professora (com crase).


Mais adiante pretendo colocar mais posts sobre crase.

4 comentários:

Carlos Ismael Moreira disse...

Caro Plin plin!
Fiquei muito triste ao saber que te devo um almoço. Saiba que considero uma grande perda e tua ausência será profundamente sentida.

Marque data, hora e local, pois me sentirei honrado, e também muito triste, em cumprir nosso acordo.

Um grande e forte abraço do amigo aqui!

vidacuriosa disse...

Valeu meu caro amigo. A recíproca também é verdadeira. Já estou sentindo falta daquele papo pós-fechamento das edições. Um grande abraço.

Dalva Maria Ferreira disse...

Meu caro amigo... nossa língua é tão rica, tão bonita, tenho até medo de estar desaprendendo. As mudanças na ortografia me causam muita insegurança. Preciso reencontrar aquele meu velho livro de gramática (Domingos Paschoal Cegalla) e fazer as pazes com a norma culta! Abração e obrigada pelas preciosas dicas.

Clovis Heberle disse...

Muito oportunos os posts sobre a crase. Às vezes eu vejo anúncios enormes com crase onde não devia e penso: quanta tinta e trabalho para cometer um erro de português tão primário.
Abraços, parabéns pelo blog!