segunda-feira, 25 de abril de 2011

MAIS UMA CARNIFICINA NAS ESTRADAS GAÚCHAS

Até o momento em que edito este post, 31 pessoas já haviam morrido neste Feriadão de Páscoa no Rio Grande do Sul, a contar da tarde de quarta-feira até o início da noite deste domingo. Não sei o exato número de feridos. Milhares de pessoas pegaram seus carros e deixaram suas casas para um merecido descanso. Fico a pensar quais delas, ao saírem para a estrada, pensaram no risco que correram. Quem se decidiu por não exceder na velocidade, não ultrapassar a não ser com absoluta segurança, focar-se no ato de dirigir sem se distrair um minuto sequer. Penso também em quais se preocuparam com o estado do carro e fizeram uma revisão no veículo e em seu próprio bem estar físico? Quem usou cinto de segurança? E quem, entre os que saem para as rodovias não está sob efeito de álcool ou drogas nem cansado ou com sono?

Quando os feriadões começam, eu, em casa ou trabalhando, me angustio: quantos irão morrer? Quantos ficarão feridos? Alguém dirá: "Se fores pensar nisso, não vais viver". Mas eu sempre fico torcendo para que se encontre uma maneira de evitar essas carnificinas, as mortes de inocentes, o luto das famílias.
               Campanha para o cinto de segurança
E o pior é que no próximo feriadão, ou mesmo hoje, muita gente vai para as estradas achando que nada vai acontecer, que sabe dirigir, que tudo está bem e sequer prestam a atenção no carro, em si próprios, no cinto de segurança, no excesso de velocidade.

Sobre cinto de segurança, achei no youtube um vídeo de uma campanha que já tem alguns anos. Só agora me deparei com ele. Não pude deixar de postar.


A observação desse vídeo reforça a opinião de que não é só obrigatório o uso do cinto mas também toda a atenção na hora de dirigir. É inadmissível que motoristas dirijam carregando crianças ou animais no colo, falando ao celular e até mesmo tomando chimarrão. Sem falar, é claro, no motorista que dirige sob efeito de álcool ou drogas.

Um comentário:

Nadiane C.S.Momo Spencer disse...

Plínio é tão triste que a Páscoa feliz se torne infeliz. Quanta gente sai em busca de descanso de matar saudade de amigos e familiares e as vezes é vítima de imprudência não é mesmo?! O trânsito mata muito é uma pena! Excelente texto, um abraço!